quinta-feira, 21 de abril de 2011

Nature #1


Embrenhada na natureza experimentava os seus cheiros, as suas maravilhas, as suas mais variadas texturas e sentia-me parte daquela maravilha. Sentia-me livre, um ser sem barreiras, sem obrigações...
O ar das árvores sempre me fez sentir mais leve e por isso deambulo pela floresta fora há espera do inesperado, do incansável. Cada toque na pétala mais suave fazia com que um arrepio me percorresse deixando-me extasiada, feliz, marcada por aquelas presenças... Os meus pés descalços sentiam a erva verde e orvalhada à medida que eu percorria aquele caminho. As árvores, velhas e enrugadas, preenchiam a estrada formando um arco perfeito que recolhia o sol em seus ramos projectando a sua sombra majestosa. Ao longe, uma pequena cabana de madeira ia-se formando à medida que o meu olhar se aproximava. Era antiga, tal como tudo o que a natureza ostenta, pequena e muito acolhedora. Entrei ouvindo o ranger da velha porta. No fundo, após as portadas duplas ficava a enorme cama branca. Do lado esquerdo uma sala neutra e quente preenchia o espaço, e a cozinha, mais moderna do que eu esperava, situava-se do lado direito. Todo aquele ambiente chamou-me e decidi que ficaria por ali. A cada passo explorava aquela casa que agora se tornara minha. No quarto, em cima da pequena cómoda estava uma jarra transparente com uma orquídea branca - a minha preferida, pensei. Atrás, o espelho mostrava o seu reflexo altivo e pomposo. Toquei-lhe. Aquele arrepio voltou a percorrer-me. Sentei-me na cama observando, pela janela, o caminho que havia percorrido. Era fofa, repleta de aconchego, suave. A minha cabeça pousou na almofada branca e fechei os olhos, deixando os ouvidos atentos a todos os sons que me rodeavam. Os pássaros piavam dando informação à cerca da sua presença, os ramos das árvores restolhavam com o sopro leve do vento e os animais, com passos leves, preparavam-se para a tormenta que chegaria com a noite escura que se aproximava. O som deixou de se pronunciar e tudo o que dantes era cor tornara-se escuro; o sono chegara.

Continuo?

6 comentários:

  1. Que belo texto, Déah! Sim, deves continuar!
    Vim desejar boa páscoa, minha flor...
    Fica com Deus!

    beeeeijos

    ResponderEliminar
  2. E vim avisar que a 14ª parte de Uma história de amor já está no blog! espero que gostes...

    ResponderEliminar
  3. Sim Continua.. :$
    Já te disse que tens jeito para estas coisinhas fofas... :$..
    E eu Amei o Sussurro ao Mar <3...


    :$ Eu Amo o som da natureza :'D

    ResponderEliminar
  4. Yupiiii, o fofito gosta :')

    Fico contente querido <3

    ResponderEliminar

Leave your thoughts;
Someday they'll become more than just a dream ♥